quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

FINJO-TE O OLHAR











Vejo no espelho dos teus
a simetria dos meus…
Observo,
e no verde me entrego,
em aconchego…
Sinto,
muito ao de leve,
o beijo breve…
E minto…

E finjo
que sei, sem que mo digas
E finjo
que sabes, sem que te fale…

Bordo nas tuas mãos
Gestos sem nãos…
Reservo
nos teus lábios o desenho
Dos beijos que tenho…
Absinto
da insana evidência
no peso da tua ausência…
E finto…

E finjo
A eminência da chegada
E esqueço
O fim, o vazio, o nada…

10 comentários:

  1. Bem... ate estremeci!
    Sempre melhor, sempre a superar-se... Bravo!
    Um grande beijo*
    Diana.

    ResponderEliminar
  2. Lindo teu blog e teus textos, Sãozinha!
    Muito azul demais!Bjins coloridos, Betha.

    ResponderEliminar
  3. Estar aqui presente
    Com palavras
    Luzentes brilhantes…
    É como flutuar
    Em águas calmas
    E no fundo ver diamantes

    Um bom fim-de-semana
    Inundado de paz…

    O eterno abraço…

    ResponderEliminar
  4. Como já conheço poema, sou suspeita se o comentar pela terceira vez, mesmo assim e já sabendo a minha opinião aproveitei para ver os outros textos que compõem o seu blog, adorei lê-la. Terá noticias minhas por aqui muitas vezes, espero que não se importe.
    Beijinhos *

    ResponderEliminar
  5. Chamou-me à atenção ver o seu nome em meu blog, o meu muito obrigado por ler as minhas letras.
    Passei por seu maravilhoso azul blog, que achei lindo, e li com muita atenção seu rico e belo poema, adorei, pois ele contem não fingimento mas sim, uma forte personalidade de sentimentos.
    Um abraço amigo enviado do Reino do Sião
    António Cambeta

    ResponderEliminar
  6. Oi viva, fiquei agradavelmente surpreendida por aparecer lá meu quintal
    Foi uma surpresa linda obrigada
    Abraço do tamanho do mundo

    ResponderEliminar
  7. A lua se foi
    Deixando a noite sem graça
    Nada mais de marés, altas ou baixas
    Nem contos em prosas ou versos
    Nunca mais namoros ao luar
    Tampouco duetos pra alimentar
    Nunca mais seu brilho fugaz voltarei a ver
    Na areia escrevo com lágrimas a despedida
    Lua que fez parte, morou na minha vida
    Que fazia na tristeza brotar meu sorriso
    Vá Lua e encontre a alegria,
    A magia que merece sem dor!
    Lua viva e brilhe noutros lugares
    Com felicidade e muito amor!


    Bom dia!

    ResponderEliminar
  8. Lá fora chove o calado momento
    Que repassa na alma, ansiedades…
    Saltam inquietas chamas de dentro
    Do meu peito, alagadas saudades

    Um fim-de-semana ensopado
    De paz e harmonia…
    De coração ornamentado
    De muita alegria

    O eterno abraço…

    -Manzas-

    ResponderEliminar
  9. No castelo
    Das expressões,
    Estas palavras
    Sobrevoam
    O mundo inteiro…
    Acorrenta e entoam
    Paz aos corações
    E aqui
    Ao lê-las…
    Ficarei prisioneiro

    Uma semana carregada
    De saúde,
    Paz…
    E muito amor.

    O eterno abraço…

    -MANZAS-

    ResponderEliminar